NYT: Prioridades velhas para um mundo novo

A integração das redações chegou no NYT em 2005, com um memorando do big boss Bill Keller para a redações dizendo que a equipe do papel estaria à frente do processo, mesmo sem ter nunca publicado uma única página web na vida. Aos poucos, a equipe do .com foi migrando para a velha redação,  que ainda era ali perto da Times Square porque o NYT.nainternet funcionava em outro endereço a algumas quadras de distância da tradicional redação do impresso. Foi montada uma Continuous News Desk, os editores do online passaram a participar das reuniões de pauta e fechamento da edição. Com o fim da obra bilionária do prédio novo no ano passado, todo mundo dividindo o mesmo refeitório e elevador, parecia que tudo ficaria mais simples e fácil. 

Mas ao ler o discurso de Keller na quinta-feira passada num encontro com a redação on-line do NYT a impressão que tenho é que o tempo passou e pouco aconteceu nesses últimos três anos.

Keller destacou sete questões que segundo ele estão mobilizando a empresa neste momento:

  1. O futuro do Times Topics e outras seções de conteúdo vivo
  2. A discussão de conteúdo pago ou não, integração com conteúdo externo e redes sociais
  3. Integração das operações impressa e digital em especial nos principais departamentos
  4. Aumentar a colaboração entre as equipes de TI e redação
  5. Pensar “web first”
  6. Uma forte estratégia para conteúdo móvel
  7. Redesenhar o Times para criar uma “turbina de engajamento” e participação dos leitores

Ok, juntar duas culturas TÃO distintas é um desafio gigantesco.

Em especial, quando a decisão passa pela entrega do comando a um  grupo que não conhece quase nada do mundo novo. E nesse caso é sabido que será preciso dar passos para trás, ainda que seja um moon walk, mas será impossível não perder nada.

Fazer jornalismo on-line é muito mais do que escrever uma boa matéria ou saber priorizar uma edição. É preciso entender o leitor, seu uso da tecnologia, seu comportamento na web e redes sociais. É preciso pensar em TI e usabilidade. É preciso pensar na experiencia de consumo da informação como um processo que começa na pauta e que não termina porque o leitor vai interagir com aquele assunto e gerar novas pautas.

E olhando essa lista de prioridades a pergunta que fica é:  o que eles estavam priorizando, escolhendo, fazendo nesses últimos três anos?

Web first?  Celular? Redes sociais? Conteúdo vivo? Engajamento? Multimídia? Conteúdo pago? Já não é assim? Não foi para isso que as redações foram integradas?

O que mais surpreende é que o NYT não ficou parado nesse tempo todo. Criou o Times People, vários widgets para distribuição de conteúdo, investiu fortemente na produção de vídeo, integrou o Blogrunner ao seu site, está no iPhone com vários aplicativos,  está estudando a convergencia de conteúdo para vários devices no projeto Custom Times. Sua audiência cresceu vertiginosamente e é o principal site de jornal dos EUA, o quinto no ranking de notícias. A roda não parou de girar por lá, ainda que a integração tenha chegado e mais gente tenha sido embarcada nesta viagem. 

Na minha modesta e distante opinião, suas prioridades hoje poderiam e deveriam ser outras e mais ousadas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s