O drama da autoria

Todo jornalista é vaidoso e narcisista. É uma verdade incontestável, me perdoem.
Por isso, na minha avaliação, o mais difícil exercício na implementação de qualquer experiência de jornalismo participativo na mídia tradicional é justamente esse: administrar os egos nas redações.

Como convencer a um jovem repórter que a opinião ou o conteúdo produzido por um leitor vai dividir espaço na publicação com a matéria dele??? Como explicar a um experiente editor que aquele leitor passivo não existe mais e que se ele não se enxergar retratado de alguma forma nas páginas do impresso, na TV ou nos sites de notícias ele vai buscar alguma outra forma de expor seu conteúdo ( e quem perde esse leitor é a mídia tradicional )?

Quando, há mais de um ano, falamos de interatividade e jornalismo participativo pela primeira vez no site onde trabalho, uma experiente colega falou:

– Quer dizer que nós vamos ficar com essa parte chata do trabalho de ficar recebendo sugestão de leitor, conteúdo de leitor e opinião de leitor???? Mas nós somos jornalistas!!!!

Sim!!!

E, felizmente, para muita gente que consegue perceber a mudança no nosso papel e na nossa profissão nada disso é chato.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s