Incursão sobre integração de redações

Curiosa como sou pelo tema fiz uma pesquisa ( tímida pq não consegui ir in loco) sobre a situação dos processos de integração de operações online pelas grandes redações de jornais. Como eu já suspeitava, anunciou-se muito, mas já se fez muito pouco para de fato integrar operações tão distintas.

* No NYT, alguns editores do online migraram para o prédio onde fica a redação do impresso. De lá, conversam com a turma do site e combinam trocas de conteúdo. Mas a produção pesada do NYT.com continua a algumas quadras dali.

* No El Pais a coisa parece ter desandado. O EP3, único produto com redação integrada, sofre com a guerra diária entre jornalistas do papel querendo guardar conteúdo para a edição semanal e os do online, poucos para a produção diária exigida pelo tamanho do site destinado ao público jovem . O site de notícias conta com uma equipe de produção dentro da redação do jornal mas que pouco interage com a mesma. No máximo, há uma troca de informações por conta de relações pessoais. Tudo na pessoa física, nada na jurídica

* No Estadão, os editores de hardnews do site foram levados para a redação do impresso. No lugar de sinergia a mudança azedou ainda mais as relações entre os jornalistas off e on-line.

* O USA Today anunciou uma migração gradual dos 75 jornalistas do online para a redação do impresso em dois anos. Começou pelos suplementos (viagem, fim de semana, TV, tecnologia) no fim do ano passado. Não sei como a coisa anda por lá.

Agumas situações interessantes:

* O Washington Post assumiu que são dois mundos distintos que devem viver realidades distintas. As redações são independentes e inclusive em regiões distante da capital norte-americana. Para melhorar a sinergia, contam com um núcleo “Continuous Desk” na redação do jornalão que cuida das trocas de pautas e interação entre os dois mundos. Mas não parece que dá muito certo. Contam com um editor que precisa ligar para os correspondentes para cobrar que eles mandem material para o on-line.

* No londrino Guardian a editora-chefe do site ganhou um cargo de executiva do jornal impresso. E o editor-chefe do impresso, um entusiasta do mundo virtual, também tem responsabilidades em relação ao online. As redações funcionam no mesmo prédio, mas não há um fluxo formal de troca de conteúdos (mas a empresa pretende criar).

Enfim, como eu já escrevi antes, é muito mais fácil em estruturas pequenas, organizações com mídias monopolizadas e em mercado de trabalho restrito. Quando falamos de grandes mercados, marcas tradicionais e consolidadas e profissionais de qualidade fica mais difícil descobrir a melhor fórmula para fazer de verdade e conseguir bons resultados.

Um comentário sobre “Incursão sobre integração de redações

  1. Ola Raquel,

    Gostei do seu blogger. Como estudante de jornalismo fiquei interessado em manter contato com vc. Vamos fazer assim, se vc usa MSN me inclua andersonbr33@hotmail.com.
    Para trocar informacoes sobre jornalismo vc pode escrever para esse e mail soberaniabr@yahoo.com.br.
    Estou interessado em saber sua opiniao sobre o jornalismo impresso e o online. Vc acredita q o jornalismo online vai substituir o impresso daqui a alguns anos, ou o online ainda tem muito que evoluir para substituir outras midias?

    Felicidades
    Anderson

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s